Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Inovar no Presente,
Garantir o Futuro!

Sections

Exposição “Subtus Montis” - 100 anos de descobertas em Terroso

No dia 15 de Julho, pelas 17h00, foi inaugurada a exposição “Subtus Montis Terroso” no Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa de Varzim, patente até Maio de 2007.

Notícias

Exposição “Subtus Montis” - 100 anos de descobertas em Terroso

Póvoa de Varzim, 10.07.2006

No dia 15 de Julho, pelas 17h00, foi inaugurada a exposição “Subtus Montis Terroso” no Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa de Varzim, patente até Maio de 2007.

No dia 15 de Julho, pelas 17h00, foi inaugurada a exposição “Subtus Montis Terroso” no Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa de Varzim, patente até Maio de 2007.
Esta exposição pretende dar uma retrospectiva dos 100 anos de trabalhos arqueológicos na Cividade de Terroso, cujos trabalhos de escavação, recuperação e restauro contam com o apoio da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim.
Na exposição vão estar patentes materiais e documentos provenientes das primeiras escavações na Cividade e das personagens envolvidos na sua realização, bem como os resultados dos trabalhos arqueológicos que vêem sendo realizados desde 1980. Será também dada a oportunidade, aos visitantes, de contactar com materiais arqueológicos, assistirem à recriação de ambientes e actividades dos habitantes da Cividade, sobressaindo, assim, o carácter didático e interactivo da Exposição.

inauguração expo 01
inauguração expo 02

Inauguração da Exposição

Imóvel de Interesse Público, a Cividade de Terroso é uma das mais significativas estações arqueológicas da Cultura Castreja do Noroeste Peninsular e um marco arqueológico do concelho. Segundo José Flores, dentro de três anos, a Cividade de Terroso poderá estar entre os locais arqueológicos do projecto Castrenor - Cultura Castreja no Noroeste Peninsular e, eventualmente com a classificação de Património Mundial. A ideia passa pela criação de uma rede de castros galegos e portugueses que se possam candidatar à distinção atribuída pela UNESCO e que permita, no futuro, a implementação de roteiros castrejos.
Foi no início do Século XX que Rocha Peixoto iniciou os primeiros trabalhos de escavação na Cividade, interrompidos pouco depois e retomados na década de 80. Um vasto património de objectos foi posto a descoberto, permitindo chegar à conclusão que a ocupação da Cividade remonta à Idade do Bronze, estendendo-se até ao período de Romanização.
O investimento feito na recuperação da Cividade tem como objectivo tornar este local numa das mais importantes estações arqueológicas visitáveis e assim defender o Património Concelhio.
No âmbito da importância da Cividade de Terroso a nível peninsular, e promovendo o intercâmbio cultural, o Dr. José Manuel Flores Gomes, arqueólogo municipal e coordenador dos trabalhos desenvolvidos em Terroso, deslocou-se a Mondariz Balneario (Pontevedra, Espanha) onde foi palestrante num seminário sobre a Cultura Castreja, que decorreu nos dias 22 e 23 de Junho.