Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Inovar no Presente,
Garantir o Futuro!

Sections
Destaque

Póvoa reviveu época renascentista

Póvoa de Varzim, 15.10.2007 - Reza a história que nos inícios de 1500 D. Manuel terá passado pela Póvoa de Varzim em peregrinação a Santiago de Compostela.

Notícias

Póvoa reviveu época renascentista

Póvoa de Varzim, 15.10.2007

Póvoa de Varzim, 15.10.2007 - Reza a história que nos inícios de 1500 D. Manuel terá passado pela Póvoa de Varzim em peregrinação a Santiago de Compostela.

“Ao princípio da tarde, D. Manuel, o primeiro desse nome, retoma a sua marcha a Caminho de Compostela e da catedral do Bem Aventurado Apóstolo Santiago da sua devoção. Pernoitara no dia 12 de Outubro de 1502 em Vila do Conde”. Com base nesta peregrinação encenou-se, na tarde de Domingo, a passagem do cortejo real pela nossa cidade, apesar de não se poder afirmar com toda a certeza que terá sido este o caminho seguido pelo rei. No entanto, o cenário criado conferiu imensa veracidade a este facto histórico que envolveu vários participantes e atraiu a população às ruas.

O grupo peregrino era constituído por elementos da Corte de D. Manuel: a Rainha Maria de Aragão, altos dignitários, aios, nobres, pajens, damas e clérigos, e ainda soldados, serviçais e gentes da sua confiança. Pedintes, mercadores, mulheres da vida, carregadores e almocreves estavam também entre as pessoas que acompanhavam a família real quando esta se deslocava em viagem. Todos eles integraram este desfile que animou várias artérias da cidade, partindo da Igreja da Lapa e terminando na Avenida dos Descobrimentos.

Perto de uma centena de pessoas aceitaram vestir os magníficos trajes feitos à mão, segundo reproduções da época, bem como as túnicas mais simples, envergadas pelas gentes do povo. Para este cortejo foram desenhados e confeccionados mais de 70 fatos completos, todos feitos à mão e com tecidos que se procurou fossem o mais aproximados possível aos da época, o século XVI. Estes trajes foram todos feitos na Póvoa, por Elisa Novais que, habitualmente, se dedica à confecção dos guarda-roupas das procissões, e que, para esta feira, seguiu os esboços que lhe foram fornecidos pelo Museu local. Vários meses de trabalho foram necessários para concretizar este cortejo de grande impacto visual.

Esta foi uma iniciativa da Câmara Municipal, através do Museu Municipal, que conta com a dedicada participação do Rancho Folclórico da Associação de Amizade de S. Pedro de Rates e colaboração da Junta de Freguesia de São de Rates, bem como muitos participantes voluntários que se associaram a este evento. Este desfile surgiu na sequência da Feira Renascentista de Rates realizada em 26 e 27 de Maio e integra-se no projecto ANIMAPÓVOA, apoiado financeiramente pelo Turismo de Portugal.