Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Inovar no Presente,
Garantir o Futuro!

Sections
Destaque

Exposição bibliográfica e iconográfica Gomes Monteiro

A Junta de Freguesia de S. Pedro de Rates organizou uma exposição bibliográfica e iconográfica sobre o jornalista, escritor e historiador Gomes Monteiro (1893-1950). A mostra estará patente no Núcleo Museológico da Igreja Românica de S. Pedro de Rates entre 31 de janeiro e 28 de fevereiro. O comissário da exposição é Paulo Sá Machado que explica que o objetivo da iniciativa é “mostrar a imensa obra de Joaquim Gomes Monteiro, tão vasta ela é, ao mesmo tempo um pouco esquecida e mesmo ignorada por grande maioria dos leitores, não é tarefa fácil. De forte personalidade, tem uma assinalável obra que merece e deve ser divulgada, pelo seu indiscutível mérito. Gomes Monteiro nasceu em Boticas, a 5 de Junho de 1893. Em 1932 publica o seu primeiro livro de poesia, As Mulheres que amaram Jesus, dedicando-o “às santas velhinhas da minha terra que embalaram a minha orfandade orgulhosa”.

Agenda

Exposição bibliográfica e iconográfica Gomes Monteiro

DATA: 31 de janeiro a 28 de fevereiro
LOCAL: Núcleo Museológico da Igreja Românica de S. Pedro de Rates

A Junta de Freguesia de S. Pedro de Rates organizou uma exposição bibliográfica e iconográfica sobre o jornalista, escritor e historiador Gomes Monteiro (1893-1950). A mostra estará patente no Núcleo Museológico da Igreja Românica de S. Pedro de Rates entre 31 de janeiro e 28 de fevereiro. O comissário da exposição é Paulo Sá Machado que explica que o objetivo da iniciativa é “mostrar a imensa obra de Joaquim Gomes Monteiro, tão vasta ela é, ao mesmo tempo um pouco esquecida e mesmo ignorada por grande maioria dos leitores, não é tarefa fácil. De forte personalidade, tem uma assinalável obra que merece e deve ser divulgada, pelo seu indiscutível mérito. Gomes Monteiro nasceu em Boticas, a 5 de Junho de 1893. Em 1932 publica o seu primeiro livro de poesia, As Mulheres que amaram Jesus, dedicando-o “às santas velhinhas da minha terra que embalaram a minha orfandade orgulhosa”.