Este
colóquio contará com a participação do Comandante Sousa Monteiro, da Sociedade
de Geografia de Lisboa, que falará sobre o aviador Sarmento Beires e dos seus
feitos para a história da Aeronáutica Portuguesa; do Prof. Doutor Armando
Malheiro da Silva, professor da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, a
quem caberá abordar a época histórica em que viveu Sarmento Beires, o período
da Ditadura à Democracia e o papel dos Exilados; Dra. Isabel Sousa, directora
da Biblioteca Municipal de Espinho, que falará sobre a Exposição
Bio-Bibliográfica e do seu Espólio. O Jornalista Luís Costa, do Jornal Público, fará a apresentação e moderará o debate.

Nascido em Lisboa, em 1892, José
Manuel Sarmento de Beires foi aluno do Colégio Militar. Em 1917, com o posto de alferes, terminou com aproveitamento o primeiro
curso de pilotagem militar efectuado em Portugal. Em Julho desse ano foi
promovido a tenente e partiu para França, integrado nos Serviços de Aviação do
CEP. Em França frequentou cursos de aperfeiçoamento, especializando-se em
aviação de caça. Em 1919 regressou a Portugal para o Grupo de Esquadrilhas de
Aviação República. Foi o primeiro piloto a efectuar uma missão de voo nocturno
em Portugal, em 1920. Ainda em 1920, com Brito Pais, tenta a viagem à Madeira a
bordo da “Cavaleiro Negro”. Em 1924 voa até Macau, com Brito Pais e
Manuel Gouveia. Em 1927, com Jorge de Castilho e Manuel Gouveia, atravessa num
voo nocturno o Atlântico Sul a bordo do “Argos”. Esteve ligado ao
grupo da “Seara Nova” e foi afastado por motivos políticos, por
oposição a Salazar, vindo a ser reintegrado com o posto de coronel em 1972.
Faleceu no Porto a 8 de Junho de 1974.

A exposição, que ficará na Biblioteca até dia 27 de Julho, e o colóquio,
no dia da abertura, permitirão conhecer melhor este importante aviador
português.