Fundamental
também, um estojo bem recheado com os mais variados instrumentos como pinças,
bisturis, pincéis, borrachas, espátulas…. poucos são os que imaginam que estas
são tarefas delicadas e que, mais do que a perícia da mão, exigem o recurso a
instrumentos de apoio dos mais variados.

 Esta foi a parte prática do último dia do workshop de conservação e restauro de
documentos gráficos, que desde dia 3 decorreu no
Arquivo Municipal. Ontem, os formandos estiveram a aprender a construir
as suas próprias caixas para acondicionamento de documentos, depois de terem ficado
a conhecer a enorme variedade de materiais e de suportes que existe para os
guardar e conservar.

O
interesse é visível no grupo de formandos, que a todo o momento coloca dúvidas,
tira notas e segue atentamente o processo de limpeza de livros, feito com
recurso a meios eléctricos, como um aspirador próprio para este efeito, e com
pincéis também eles especiais para esta tarefa delicada e essencial antes de se
dar início a qualquer acção de recuperação. Remendar rasgões em papel e até mesmo
repor pedaços que possam faltar, é outra tarefa delicada e morosa, que exige
paciência e extremo cuidado para não se danificar o material e original e se
conseguir que as recuperação fique bem feita e sem grandes contrastes. A
limpeza de documentos, amarelecidos pelo tempo, foi outra das componentes desta
aula prática de hoje, onde foram também referidos materiais como colas e
equipamentos especiais de apoio à recuperação e manutenção de livros e
documentos.

Arquivo Conservação

Este
workshop teve uma duração total de 21
horas e foi frequentado, sobretudo, por profissionais que, no seu dia-a-dia,
lidam com documentos e livros, tanto em arquivos como museus e bibliotecas. A
componente teórica abordou temas como o controlo dos factores de deterioração,
controlo das condições ambiente e de pragas, boas práticas de manuseamento e sistemas
de acondicionamento e forneceu todo o suporte informativo necessário a um
melhor aproveitamento do trabalho prático.

Esta
foi uma iniciativa do
Arquivo
Municipal
, dirigida por
Ana Margarida Freitas, licenciada em Conservação e Restauro, com especialização
em Conservação e Restauro de Documentos Gráficos e docente da Universidade
Católica.