O Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, esteve presente na sessão, acompanhado do executivo municipal, e revelou que tenciona que o Jardim esteja concluído em julho de 2017, aquando da Festa de São Tomé e Sr.ª do Alívio.

Para o Presidente, “o Arquiteto Sidónio Pardal é um dos últimos românticos do paisagismo do nosso país. Trata estas obras como uma história de amor”.

Por isso, é esperado que a população da Estela compreenda e aceite para dar início à obra, sendo que este é o grande investimento que falta concretizar na freguesia da Estela para ficar cumprido tudo o que foi prometido ao eleitorado.

O edil transmitiu que a conceção deste Jardim “constitui um desafio porque é uma espécie de uma joia, é pequenino, à escala da freguesa da Estela. Mas tem uma importância muito grande: é muito central, está entre a zona desportiva e o centro da freguesia. Vai constituir uma oportunidade única para as pessoas terem um sítio de lazer no centro da freguesia: muito arborizado, com um curso de água e um espaço onde as pessoas podem estar de modo informal. Para além disso, vai ser possível recuperar uma área que está agricultada e pode ter outra utilidade para a freguesia”.

Aires Pereira explicou que “esta nossa preocupação em dotar as freguesias de um centro cívico, um sítio onde as pessoas se encontrem e possam estar sem terem de se deslocar para muito longe é algo que queremos, de alguma forma, expandir para todas as freguesias onde isso seja possível. Estamos a fazer um esforço nesse sentido”.

O valor previsto para este Jardim Público é de 407 mil euros.

Sidónio Pardal transmitiu que é intenção programática deste estudo fazer com que este jardim público agregue o conjunto formado pela Capela de São Tomé, pela escola primária, pela zona desportiva e pelo próprio jardim. Pretende-se reforçar este sítio como ponto de encontro, que se poderá desenvolver e afirmar como centro cívico da freguesia, onde terão lugar acontecimentos festivos efémeros, sendo sempre um espaço informal de estar, recreio e lazer.

O Arquiteto referiu que “a ideia é criar um sítio aprazível onde as pessoas se possam encontrar e conviver. Para além disso, a proximidade da escola primária vai permitir a utilização do jardim como a extensão informal do seu recreio,  oferecendo  aos  alunos,  professores  e  funcionários  um  amplo  espaço  de sossego e com sombra, onde será muito agradável passar tempos livres no horário escolar”.

É intenção de Sidónio Pardal, “criar uma peça que seja bela e que a população da freguesia, bem como quem a visita, possa lá passar momentos agradáveis. Proporcionar um espaço muito simples mas com uma arborização e uma composição arbustiva como rododrendos e madressilvas. Um jardim muito informal. Acima de tudo, oferecer um espaço livre às pessoas”.

O Presidente da Junta de Freguesia da Estela, Armandino Domingues, referiu que a conceção deste Jardim é o “cumprimento de mais um compromisso assumido em 2013”, acrescentando que só “com a persistência da Junta de Freguesia e o apoio da Câmara Municipal é possível dar continuidade ao desenvolvimento da freguesia colmatando falhas existentes”.

Para Manuel Loureiro, Presidente da Assembleia de Freguesia, o Jardim Público da Estela é uma “infraestrutura fundamental” através da qual se constrói o futuro da freguesia.