A visita guiada teve início no edifício situado na Rua José Régio, que mais de 200 utentes frequentam diariamente. Piscina, ginásio e fisioterapia são as valências que, não só os utentes, como toda a população poveira também pode usufruir. E mais de 800 munícipes já o fazem. As instalações estão abertas das 8h00 à meia-noite, de segunda a sexta, e das 8h00 às 20h00, aos sábados.

Conhecidas ao pormenor as instalações do MAPADI na Póvoa de Varzim, o Executivo Municipal seguiu para Terroso. Nesse espaço, os utentes usufruem de várias salas de atividades, tendo ainda salas destinadas a terapias várias, como hidromassagem, jacuzzi ou a snoezelen (uma sala equipada com uma cama com colchão de água aquecida, cadeiras e baloiços e ainda um sistema de som e luz que proporcionam momentos de bem-estar). Neste pólo existem, ainda, residências autónomas, inauguradas em 2010.

Em ambos os espaços, os utentes desenvolvem diversas atividades profissionais. Confecionam doces, compotas e biscoitos, lavam e passam roupa, tratam de jardins e dedicam-se à floricultura. Todos estes serviços podem ser usufruídos por si. Basta contactar o MAPADI.

O Presidente da Câmara Municipal afirmou que “tive o privilégio de acompanhar o desenvolvimento desta instituição ao longo dos meus 25 anos de vida autárquica. Estes edifícios sem os utentes não são nada e muito menos sem os seus profissionais, que transformam o dia-a-dia destes nossos concidadãos em felicidade”. Aires Pereira considera ser uma alegria para os utentes do MAPADI poderem dispor de um conjunto de infraestruturas ímpares. Não tenho dúvidas que, no nosso país, não hajam casos como o do MAPADI, com uma componente tão vincada de auxílio às pessoas que vivem com deficiência e às suas famílias”.

Marlene Eiras é uma das moradoras numa das residências autónomas e é funcionária da Câmara Municipal. António Ramalho contou a sua história: “em 1972 nasceu, na Venezuela, uma menina e que, dez anos depois, começou a frequentar as nossas instalações. Em 1990 a Marlene perde a mãe, com paramiloidose, e em 2013, o seu pai. Fez toda a sua formação no MAPADI e está hoje integrada na Câmara Municipal”.

Sobre a utente e funcionária, Aires Pereira disse: “ a Marlene é um exemplo, não de alguém que tem uma dificuldade e consegue cumprir, mas de uma funcionária responsável e empenhada. A integração da Marlene na Câmara Municipal é o esforço de muitos profissionais que acreditaram que era possível. É o exemplo de que se deve apostar nas pessoas e não segregá-las só porque nasceram diferentes de nós”.

O autarca esclareceu a nova direção: “vamos entrar numa nova fase, de integração das vossas infraestruturas na comunidade poveira para que todos percebam que existe um local onde as pessoas são bem acolhidas, estão perfeitamente integradas e podem desenvolver-se sob o ponto de vista profissional.

“Aparício Quintas deixou uma marca de amor nesta instituição e que não será fácil suplantar. Substituí-lo será uma responsabilidade muito grande mas a nova Direção poderá contar sempre com a disponibilidade do município para contribuir para que a vida destes cidadãos poveiros seja mais equilibrada e socialmente mais integrada”. “Nós, que temos a nosso cargo estas importantes instituições, temos a obrigação de divulgar e mostrar aquilo que é bem feito e criar sustentabilidade para o futuro. Um dia, não estaremos à frente destas instituições, mas as pessoas continuarão aqui, a precisar de todos os cuidados”.

Veja a fotogaleria desta visita.