O programa do festival, que
vai decorrer entre 6 e 28 de Julho, na Póvoa de Varzim, foi apresentado esta
manhã, em conferência de imprensa, na Câmara Municipal, ocasião em que foram
também divulgados os autores e as composições seleccionados pelo júri do
segundo Prémio Internacional de Composição.

Iniciativa do Festival, este
Prémio de Composição disputa-se nas modalidades de composição para orquestra e
câmara, teve este ano como mote Eça de Queirós e a sua obra e recolheu a
participação de 20 concorrentes. O júri, composto por Luís Tinoco, Fernando
Lapa, Carlos Caires e Odaline de La Martinez, seleccionou, na categoria de
obras para música de câmara: “Quatro personagens saídas de um conto”, de Hugo
Ribeiro; “A Civilização”, de Fátima Fonte Ferreira; e “Seis peças para piano”,
de Patrícia Silva. Na categoria de composição para orquestra foram
seleccionadas: “Reminiscências”, de Hugo Ribeiro e “Perpétuité”, de Ana Seara. Estas
selecções do júri serão confirmadas no decorrer do festival, quando as peças
forem interpretadas e o público tiver também oportunidade de se pronunciar.
Assim, no dia 20 de Julho, serão apresentadas as obras para orquestra e, no dia
21, as obras para música de câmara.

Um dos motivos de satisfação
para a organização do Festival é a juventude dos concorrentes a este prémio,
bem como a selecção de uma poveira, que fez a sua aprendizagem na escola de
música da Póvoa de Varzim. Nascida na freguesia de São Pedro de Rates, em 1983,
Maria de Fátima Fonte Ferreira 
inspirou-se n´”A Cidade e as Serras” para a sua composição. Hugo
Ribeiro, nascido em Lisboa, também em 1983, que concorreu nas duas modalidades,
revela que foi buscar a inspiração a “O Mandarim”. Patrício Silva, nasceu em
Alcobaça, em 1973, e concorreu na categoria de música de câmara e Ana Seara,
que já no ano passado tinha concorrido, conquistando uma menção honrosa, nasceu
em Coimbra, em 1985. O prémio de composição para orquestra atribuirá ao
vencedor um valor monetário de quatro mil euros e o de composição para música
de câmara atribuirá 2500 euros ao primeiro lugar. Para além destes valores
monetários, as obras serão também editadas em cd e as partituras publicadas.

Para além deste Prémio
Internacional de Composição, o programa deste ano do Festival volta a trazer à
Póvoa de Varzim grandes nomes e um momento particularmente interessante, em que
se procurará reproduzir música da Grécia do século VI a.C.. Com a soprano
Arianna Savall e o recurso a reproduções de instrumentos musicais da época,
este será, com certeza, uma actuação a não perder, no dia 24 de Julho, na Igreja
Românica de São Pedro de Rates.

A vertente pedagógica,
através das “master classes”, o apoio à criação, com o prémio de composição, a
divulgação da região, no país e no estrangeiro, a realização de exposições, a
divulgação de novos talentos, como é o caso do Quarteto Varazim, que se vai
estrear na rubrica “Músicos em Crescendo”, são outros dos pontos a destacar do
programa deste ano, que segue em anexo.

Folheto frente small

Folheto trás