O Auditório
Municipal e o Auditório da Escola Secundária Rocha Peixoto, que organiza a
iniciativa com o apoio da Câmara Municipal, receberam as peças exibidas, uma à
tarde, outra à noite, contando sempre com casa cheia, registando-se não só uma
grande afluência de alunos, na maioria das escolas participantes, mas também de
pais e familiares dos actores amadores.

A X Mostra de Teatro
Escolar abriu no dia 12 com a encenação de “Ela” pela Trup – Núcleo Juvenil de
Expressão Dramática da Filantrópica, peça escrita a partir de vários textos de
Samuel Beckett – “Endgame”, “Footfalls”, “Happy Days”, “Krapp’s Last Tape”. À
noite, a “Tapete Mágico” da Escola Secundária Pinheiro e Rosa, de Faro,
apresentou “O Guarda do Espaço Vazio”, com texto original e encenação de Ana
Cristina Oliveira. Na terça-feira, 13, os alunos da “Improviso”, grupo da
Escola Secundária Tomás Cabreira, apresentou Amor@etc.com, um texto original,
seguindo-se “Apocalipse”, também texto original, pela “Devisa”, o núcleo de
teatro da escola organizadora, a Escola Secundária Rocha Peixoto.
“Portugaliza?”, da IES Arzúa, da Coruña, e “D. Rosinha, a Solteira, ou A
Linguagem das Flores”, encenada pela “Gatapum” da Escola Secundária André
Gouveia a partir do texto de Frederico Garcia Lorca, foram as peças apresentadas
na quarta-feira, dia 14. A Mostra de Teatro Escolar começou a aproximar-se do
seu final na quinta-feira, 15 de Abril, recebendo o “Clube de Artes
Performativas & Gaterc” da Escola Secundária Henrique Medina, de Esposende,
que apresentou “Quadros do Papalagui”, discursos de Tuiavii. A Escola
Secundária de Peniche apresentou a peça, com texto original, “Pecados
(I)mortais”. No seu último dia, 16, os utentes do MAPADI subiram a palco para
apresentar a sua peça no espectáculo da tarde. No Auditório da Escola
Secundária Rocha Peixoto, à noite, a “Devisa” repetiu o espectáculo
“Apocalipse”, seguindo-se o encerramento da Mostra, com a participação de Luís
Diamantino, Vereador da Câmara Municipal, e a Festa final dos participantes.

No Museu Municipal,
n’A Filantrópica e ainda na Escola Secundária Rocha Peixoto tiveram lugar dez
workshops sobre técnicas teatrais, em exclusivo para os alunos participantes na
Mostra. Com a ajuda de actores profissionais, os participantes puderam trabalhar
a sua expressão oral e corporal e apurar técnicas de percepção e memorização,
entre outras aprendizagens.

Esta iniciativa da Escola Secundária Rocha Peixoto
é, simultaneamente, um palco, por excelência, do teatro amador mas também do
interesse que esta arte provoca entre a comunidade escolar, envolvendo alunos,
professores e até mesmo auxiliares da acção educativa. O teatro é, assim, uma
actividade extra-curricular de grande importância, na medida em que ajuda os
alunos a desenvolver as suas capacidades de expressão, colocando-os também em
contacto com a cultura teatral, conhecendo textos e autores.