Rua da Fábrica, Rua
Comendador Nelson Quintas e Alameda Monsenhor Manuel Amorim foram os
arruamentos inaugurados esta manhã por José Macedo Vieira, Presidente da Câmara
Municipal da Póvoa de Varzim. Participaram deste acto inaugural elementos do
executivo camarário e familiares dos homenageados.

Ao atribuir estes topónimos,
a autarquia distingue o contributo de Francisco Alves Quintas e Nelson Quintas
para o desenvolvimento económico do concelho, conforme justificação da
Comissão Municipal de Toponímia:

Rua da Fábrica

“Nos anos vinte do século XX, as
várias unidades de fabrico manual de cordoaria foram desaparecendo, tendo
resistido apenas a fábrica de Francisco Alves Quintas (1890-1980), que desde os
anos trinta foi adoptando progressivamente processos de fabrico
industrializados, beneficiando dos programas de fomento industrial lançados em
Portugal após a segunda guerra mundial, e ampliando sucessivamente as suas
instalações situadas na Rua Gomes de Amorim. Quando em 1972 a fábrica “Quintas
& Quintas SARL – Companhia Industrial de Cordoarias Têxteis e Metálicas”
recebe o prémio europeu “Mercúrio de Ouro”, por contribuir de forma relevante
para o desenvolvimento da economia europeia, já é a maior empresa do concelho e
líder de mercado a nível nacional.

O facto de se tratar de uma empresa
de origem familiar e poveira, cuja pujante actividade económica a tornou no
maior empregador local e num elemento importante da paisagem urbana da Póvoa de
Varzim, importa preservar a memória dessa histórica unidade fabril demolida em
2006 e agora transformada em zona habitacional, assinalando a sua existência na
toponímia local através da tradicional designação de Rua da Fábrica, a exemplo
do que se pratica noutras localidades”.

Rua Comendador Nelson Quintas

O Comendador Nelson Alves de Aguiar
Quintas (Póvoa de Varzim, 16.11.1924 – 6.01.2001)

“Iniciou a sua actividade
profissional aos 16 anos, numa pequena indústria manual e mecânica de cordoaria
fundada pelo pai, Francisco Quintas, mas rapidamente fez com que a pequena
empresa se desenvolvesse para novas áreas, nomeadamente dos plásticos, do
alumínio e do aço. Já nos anos 40 e 50, Nelson Quintas apostava na conquista de
novos mercados, o que permitiu a consolidação e o crescimento da empresa
familiar que dirigia, bem como a sua expansão diversificante e a sua
internacionalização para Espanha, Angola, Moçambique, Argentina e Brasil. A
empresa que liderou foi sempre reconhecida como uma referência em termos de
empreendedorismo e de inovação, tanto em Portugal como no estrangeiro, tendo
recebido, em 1980, o troféu “Caravela Portuguesa”. No início da década de 1990,
o Estado Português outorgou a Nelson Quintas a Comenda de Mérito Industrial.
Nelson Quintas deu também o seu contributo em várias associações desportivas e
sociais, no Porto, em Matosinhos e na Póvoa de Varzim, designadamente, nos
Bombeiros Voluntários de Leça do Balio, Matosinhos e Póvoa de Varzim, no Clube
Desportivo da Póvoa, no Varzim Sport Club, no Lions Clube da Póvoa de Varzim e
no Estela Golf Clube.

Em 2001, o Município da Póvoa de
Varzim, assinalando o Dia da Cidade, distinguiu-o com a Medalha de
Reconhecimento Poveiro, de grau prata”.

 

A vertente histórica e cultural também
foi reconhecida, uma vez mais, pela Câmara Municipal ao atribuir o topónimo
Alameda Monsenhor Manuel Amorim, sendo que em 1995, o antigo Vereador da
Cultura recebeu, do Município Poveiro, a Medalha de Prata de Reconhecimento
Poveiro.

Alameda Monsenhor Manuel Amorim

“Manuel José Gomes da Costa Amorim (Póvoa
de Varzim 23.09.1930 – Beiriz 7.05.2006)

Frequentou os Seminários
arquidiocesanos de Braga, tendo-se ordenado Sacerdote em 1953. Nomeado
coadjutor em Fafe, foi, em 1955, designado pároco de Touguinha e Argivai.

Em Novembro do ano seguinte tomou
posse da paróquia de Beiriz. Foi Vereador do Pelouro da Cultura da Câmara
Municipal da Póvoa de Varzim entre 1965 e 1969 e Vice-Presidente da Direcção do
Varzim Sport Clube de 1962 a 1964.

Desde 1969, dedicou-se à investigação da história do
concelho da Póvoa de Varzim, tendo publicado vários estudos relevantes. Foi
Director do Boletim Cultural Póvoa de Varzim desde 1989 até 2006. Em 1995 recebeu,
do Município poveiro, a Medalha de Prata de Reconhecimento Poveiro”.