A obra nasceu da amizade entre a actriz Jeanne Balibar, o director de som
Philippe Morel, e Pedro
Costa, o realizador. Jeanne Balibar, cantora, dos ensaios às
gravações, do concertos rock às provas de canto lírico, dum sótão em Saint
Marie-aux-Mines aos palcos de Tóquio, de Johnny Guitar à Périchole de
Offenbach.
Os vários registos musicais de Jeanne Balibar captados através da
percepção do realizador Pedro Costa.
A actriz e cantora foi filmada, a preto e branco, durante três anos de
reflexões, ensaios e actuações. O resultado é um documentário intimista e revelador.
“Um dos mais belos filmes”, segundo as palavras da actriz, e aquele onde se
reconhece “mais do que em qualquer outro”.
 

“Ne Change Rien” é apresentado, então, hoje, às 21h45, no
Auditório Municipal.