A conferência realizou-se esta tarde e foi promovida pela Câmara Municipal que, como afirmou na abertura o vereador Afonso Oliveira, teve, uma vez mais “um papel de facilitador , promovendo uma iniciativa que interessa a muita gente, como se pode ver pelo número de pessoas presente”.

O que vai mudar na contabilidade em Portugal, em 2010, a revogação do POC e legislação complementar, a realidade de um novo modelo assente mais em princípios do que em regras e conforme com as directivas da União Europeia, foram alguns dos pontos abordados na conferência que, ao contrário do inicialmente previsto, contou com um único orador, Mário da Cunha Guimarães, tendo Joaquim da Cunha Guimarães sido forçado, por motivos de saúde, a cancelar a sua presença.

Uma plateia muito variada assistiu à explicação de um novo sistema contabilístico que interessa aos mais variados sectores – desde empresários, a técnicos revisores de contas e mesmo turmas do 10º ano de Contabilidade da Escola Secundária Rocha Peixoto, muitos foram os que manifestaram interesse em pôr-se a par das novas normas, que vão entrar em vigor no início de 2010. E, apesar da distância temporal, é evidente que muitos dos que vão ser abrangidos pelas alterações perceberam já a importância de se anteciparem à entrada em vigor do SNC, procurando obter toda a informação necessária com a devida antecedência.

A conferência desta tarde estava aberta à participação de todos os interessados, que para o efeito se puderam inscrever gratuitamente no Gabinete de Promoção ao Investimento, Investemais.

conferência snc 01

O Sistema de Normalização Contabilística (SNC) pretende substituir o Plano Oficial de Contabilidade (POC), bem como a legislação complementar. As previsões apontam para que o referido modelo se torne eficaz a partir de 1 de Janeiro de 2010, no entanto, torna-se desde já relevante promover o seu conhecimento para preparar atempadamente a sua implementação.

 

Com a participação de quem conhece profundamente o tema, a conferência organizada pela Câmara Municipal constituiu, certamente, uma oportunidade para informar os empresários, profissionais da área e estudantes sobre os principais aspectos de implementação do novo modelo de normalização contabilística, bem como os possíveis impactos fiscais.