Quer a Polícia de Segurança Pública,
quer a Polícia Municipal serão muito rigorosos no cumprimento dessa
determinação da autarquia. Parece-nos profundamente injusto que aqueles que têm
estabelecimentos abertos durante um ano inteiro, que suportam os custos
inerentes a este facto, que contribuem para o emprego na Póvoa de Varzim,
sofram uma concorrência desleal, em que tudo é vendido em qualquer sítio do
concelho. A venda de pescado, por exemplo, está completamente descontrolada.
Vende-se peixe em qualquer canto da cidade e não é possível continuarmos com
esta situação. Os próprios comerciantes do Mercado Municipal têm sido
prejudicados, uma vez que pagam pelo espaço e pagam os seus impostos. Portanto,
este ano, não haverá autorizações para a venda ambulante”.