Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Inovar no Presente,
Garantir o Futuro!

Sections

Ninhada de gansos selvagens anima Parque da Cidade

Póvoa de Varzim, 18.05.2012 - O Parque da Cidade continua a ser o lar de muitas famílias. Desta feita, e depois da ninhada de cisnes mudos, mostramos-lhe outra novidade: o nascimento de gansos selvagens do Egipto.

Notícias

Ninhada de gansos selvagens anima Parque da Cidade

Póvoa de Varzim, 18.05.2012

Póvoa de Varzim, 18.05.2012 - O Parque da Cidade continua a ser o lar de muitas famílias. Desta feita, e depois da ninhada de cisnes mudos, mostramos-lhe outra novidade: o nascimento de gansos selvagens do Egipto.

O Parque da Cidade continua a ser o lar de muitas famílias. Desta feita, e depois da ninhada de cisnes mudos, mostramos-lhe outra novidade: o nascimento de gansos selvagens do Egipto.

Os gansos do Egipto têm uma história curiosa. Originária de África – onde se dispersa por praticamente toda o continente, excetuando os desertos e as áreas densamente florestadas – é uma ave comum ao longo do Nilo e aparece retratada em pinturas e esculturas egípcias. Por ser uma espécie bonita e pacífica, há mais de trezentos anos foi levada para jardins e lagos de Inglaterra e daí para toda a Europa. Espécimes escapados ao cativeiro rapidamente se estabeleceram em zonas favoráveis, como o nosso Parque da Cidade, reproduzindo-se e criando populações assilvestradas.

Alimentam-se quase exclusivamente de vegetais: folhas, caules e raízes de plantas aquáticas e das margens, comendo ocasionalmente insetos e vermes. Acasalam para toda a vida, como o cisne, e são pais extremosos, afastando com vigor outros patos e gansos que se aproximem ou perturbem a vida e segurança da família. Depois de terem sido detetados no Parque desde a sua criação, como se o tivessem vindo explorar primeiro, eis que este ano uma simpática ninhada com seis gansos vieram alegrar, ainda mais, o lago do Parque.

Embora sejam aves habituadas a verem pessoas, não deixam de ser selvagens e defendem as crias com a própria vida, se necessário for. Nas visitas deve-se evitar aproximar demasiado ou tentar tocar nas crias.