No âmbito do Programa das Festas de S. Pedro, celebrou-se, no dia 29 de Junho, um novo acordo de geminação entre Montgeron e Póvoa de Varzim. A assinatura de protocolo decorreu após um almoço de confraternização no Restaurante Aqueduto onde estiveram presentes os Presidentes de Câmara dasduas cidades irmãs. 

Os representantes dos municípios renovaram o compromisso solene assinado em 29 de Junho de 1986, de manter relações permanentes entre as suas comunidades, favorecer o intercâmbio entre os seus habitantes e de incentivar, particularmente, as relações entre os jovens com vista a um melhor conhecimento mútuo, uma melhor compreensão das suas realidades e adquirir um sentimento de fraternidade europeia.
O Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Macedo Vieira, manifestou a sua alegria pelo envolvimento dos concidadãos, bem como dos responsáveis políticos no processo de geminação, afirmando que “a comemoração destes 20 anos de fraternidade é, mais do que uma homenagem ao passado, um grande desafio ao futuro”. Este desejo de prosseguir e reforçar os laços que unem os dois municípios foi também expresso por Gerald Hérault, Presidente da Câmara Municipal de Montgeron, que referiu a “vontade comum de contribuir na construção de uma Europa mais poderosa, forte e eficaz no plano económico e monetário, mas também mais justa no plano social e mais generosa com os países do terceiro mundo”. Um dos pilares da construção da União Europeia é, sem dúvida, a coesão que resulta do entendimento e das relações de amizade estabelecidas entre as diferentes cidades e comunidades. A celebração de amizade entre a Póvoa de Varzim e Montgeron, em 1986, coincidiu com a adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia, e com o início de um novo conceito europeu, a “Europa dos cidadãos” – um movimento de vilas e cidades europeias para a promoção de encontros entre cidadãos de diversos lugares, de diferentes meios culturais e sociais com vista à integração. O balanço do actual Presidente da Associação de Amizade Póvoa de Varzim Cidades Geminadas, Francisco Casanova, é bastante positivo, “os diversos contactos entre cidadãos e instituições das nossas cidades permitiu semear laços de amizade, trocar experiências e descobrir o desafio que é aprender a conhecer o outro. Efectivamente, a nossa experiência de geminação foi para além de uma simples troca.”