A sala de Troféus “Dr. Armindo Graça” onde, todos anos, neste dia, decorre a tradicional sessão de discursos, foi pequena para acolher os mais de cem associados que fizeram questão de marcar presença neste momento único na vida do clube.

O Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, alertou que 2016 vai ser um ano duro e deixou uma mensagem forte para todos os que serviram o Varzim: “se estão interessados em que o Clube continue, não criem mais dificuldades para além daquelas que já decorrem”, reforçando que “o Varzim, para ter credibilidade, tem que honrar os seus compromissos”.

Pedro Faria, Presidente do Varzim, disse que, depois de anos atribulados e em que muitos previam o fim do clube, era altura de “desfrutar da data. Fui dos poucos a acreditar que era possível chegar aos 100 anos e não me arrependo de nada do que fiz”, proclamou aos presentes.

Macedo Vieira, presidente da Comissão do Centenário registou com orgulho a comemoração da data, referindo que poucas foram as instituições em Portugal que chegaram aos cem anos e que apenas os Clubes de Futebol, o conseguem, porque são as únicas capazes de gerar paixões.

“Apesar das crises sucessivas, o Varzim sobreviveu. E sobreviveu graças aos varzinistas. Hoje é um dia de alegria e de orgulho”, referiu, deixando um apelo para o futuro: “É preciso resistir e dar um grito de revolta contra as desigualdades no futebol português. É preciso reunir e cerrar fileiras para lutarmos pelos nossos objetivos”.

Veja a fotogaleria