O autarca começou por recordar os seus tempos de atleta do Clube Naval Povoense, sendo que praticou vela durante 25 anos, e recuou mais de 40 anos para transmitir aos mais novos que na altura “não tínhamos nada, mas tínhamos uma vontade enorme de ir para o mar e utilizar os meios que existiam”. Neste sentido, revelou: “a velhinha sede do Clube Naval, um barracão que existia ali em baixo, servia-nos de ponto de encontro. Quando as condições não permitiam ir para o mar, ficávamos ali a estudar, jogar, enfim, conviver. Criava-se um verdadeiro espírito de amizade e de entreajuda que é fundamental nos homens do mar, ou seja, o espírito de camaradagem também se fazia em terra”.

E neste regresso ao passado, fez questão de evocar duas pessoas que foram muito importantes para o Clube: Silva Pereira e Alberto Marta.

Aires Pereira transmitiu que “sentia que atualmente faltava, no Clube Naval, um sítio virado para o mar, com condições, onde pudessem estar com o mínimo de conforto e para que quando não puderem ir para a água, se encontrem aqui, se divirtam. Em suma, para criar o espírito de grupo fundamental e para nos protegermos, evitando comportamentos desviantes”, acrescentando que “os clubes e a prática desportiva servem também para criar este espírito”.

O edil revelou tratar-se de “um momento particularmente importante”, referindo que apesar de não se tratar de um grande investimento a nível monetário, “é um grande investimento sob o ponto de vista daquilo que vai proporcionar aos mais novos”. Deixou o apelo para que “conservem o equipamento para que se mantenha em bom estado, asseado de modo a que nos sintamos bem e seja um pouco a extensão da nossa casa no exterior”.

O Presidente da Câmara informou que “em abril serão retomados os trabalhos para finalizar a Marina e iremos lançar o concurso para os equipamentos dependente da obra que agora começa de montagem dos novos cais para embarcações de pesca. Até ao final deste ano, iremos finalizar a empreitada no valor de mais de 2 milhões de euros (equipamento e funcionamento). Esta inclui também um pequeno apoio com zona administrativa, balneários e casas de banho”.

Para Aires Pereira, a Marina da Póvoa “é uma das principais portas de entrada na cidade da Póvoa de Varzim. Muita gente que nos conhece e visita é através desta porta da barra da Póvoa de Varzim. Tudo será mais fácil depois de concluída a obra”.

Paulo Neves, Presidente do Clube Naval Povoense, começou por agradecer ao Município a oferta do equipamento que tem como objetivo “criar um espaço confortável para os nossos velejadores, nos dias em que não podemos ir para a água”. Referiu-se à “concorrência enorme que existe de tantas ocupações e desportos para os nossos jovens que se não lhes dermos algo confortável eles vão fugindo para sítios mais agradáveis”.

O Presidente do Clube Naval transmitiu que o novo equipamento irá também servir os alunos do desporto escolar e os praticantes de vela adaptada, acrescentando tratar-se de um espaço polivalente do qual todos os atletas podem usufruir.

Paulo Neves aproveitou o momento para inaugurar outros equipamentos novos: a recuperação dos cais antigos da Marina e a criação de um cais de mais fácil acesso à água e a recuperação da grua para embarcações mais pequenas.

O Presidente do Clube fez ainda questão de lembrar que a Marina faz, este ano, 20 anos, e prepara-se para o novo desafio com o novo polo, mais próxima da cidade da Póvoa de Varzim.