Passar para o conteúdo principal

Etiqueta: Correntes d’Escritas 2016

Duas exposições a não perder até dia 14

Duas exposições a não perder até dia 14

Com o 17º Correntes d'Escritas abriram ao público duas exposições, uma patente na sala de atos do Cine-Teatro Garrett, e outra espalhada por vários espaços da cidade, desde Museu e Arquivo Municipais a estabelecimentos comerciais.
Correntes d'Escritas: veja o vídeo

Correntes d'Escritas: veja o vídeo

É já com o pensamento na 18ª que nos despedimos da 17ª edição do Correntes d’Escritas.
Correntes d’Escritas vai convidar Presidente da República para a 18ª edição

Correntes d’Escritas vai convidar Presidente da República para a 18ª edição

O 17º Correntes d’Escritas terminou com a entrega dos prémios literários e com o anúncio da intenção do Presidente da Câmara da Póvoa de Varzim de convidar o Presidente da República a estar presente na próxima edição.
Se nada acaba no fim, este é o início do 18º Correntes d'Escritas

Se nada acaba no fim, este é o início do 18º Correntes d'Escritas

“Nada acaba no fim” foi o título que reuniu Afonso Cruz, José Luís Peixoto, Valter Hugo Mãe, Héctor Abad Faciolince, Fernando Iwasaki e Onésimo Teotónio Almeida.
Últimos três livros lançados, esta manhã, no Correntes

Últimos três livros lançados, esta manhã, no Correntes

A última sessão de lançamentos de livros aconteceu esta manhã, na sala de atos do Cine-Teatro Garrett. Oculta, de Héctor Abad Faciolince, Vem à quinta-feira, de Filipa Leal, e A Resistência, de Julán Fuks, foram as obras apresentadas.
“Dentro de um livro habitam outros livros”

“Dentro de um livro habitam outros livros”

A mesa 10 do Correntes d’Escritas procurou dar resposta a “Quantos livros tem o livro”, nesta manhã invernosa de 27 de fevereiro, no abrigo do Cine-Teatro Garrett.
Conversa entre Cercas e Fajardo sobre "O impostor"

Conversa entre Cercas e Fajardo sobre "O impostor"

O vencedor do Prémio Literário Casino da Póvoa, Javier Cercas, conversou com o escritor José Manuel Fajardo, no final da tarde de hoje.
"O que existe, portanto, não é a mentira mas um outro tipo de verdade"

"O que existe, portanto, não é a mentira mas um outro tipo de verdade"

“O escritor mente, o leitor acredita” deu mote à Mesa 9 que, ontem à noite, reuniu Álvaro Laborinho Lúcio, Ana Luísa Amaral, Jaime Rocha, Javier Cercas e Mário de Carvalho, no Cine-Teatro Garrett. A moderação coube a Carlos Quiroga.
Escrevo e depois...a angústia, o medo, a satisfação, o silêncio ou a vontade de voltar a escrever

Escrevo e depois...a angústia, o medo, a satisfação, o silêncio ou a vontade de voltar a escrever

O desafio “Escrevo e depois” proposto na mesa 8 do Correntes d’Escritas encontrou formas de resposta diversas. Foi às 17h30, no Cine-Teatro Garrett, e mais uma vez, com sala cheia.
João Felgar e Carlos Quiroga encontraram-se com alunos de Vila do Conde

João Felgar e Carlos Quiroga encontraram-se com alunos de Vila do Conde

João Felgar e Carlos Quiroga estiveram à conversa com os alunos de duas turmas do 10º e 11º anos da Escola Secundária D. Afonso Sanches, de Vila do Conde, numa sessão que decorreu no Diana Bar, esta tarde de sexta-feira, dia 26.
Dois contos e um romance apresentados esta tarde

Dois contos e um romance apresentados esta tarde

O 17º Correntes d’Escritas apresentou, esta tarde, o lançamento de dois romances, Desnorte, de Inês Pedrosa, e Os Navios da Noite, de João de Melo, e ainda o romance Narrativylirica, de José-Alberto Marques.
"Escrever é um atrevimento. E viver também o é."

"Escrever é um atrevimento. E viver também o é."

“Quando escolhemos mudamos o livro”: foi este o tema que juntou Ana Zanatti, Andrés Barba, Filipa Leal, João Ricardo e Uberto Stabile na Mesa 7. Francisco José Viegas foi o moderador.
Correntes lançam mais três livros

Correntes lançam mais três livros

Foram lançados, esta manhã, mais três livros no Cine-Teatro Garrett, no âmbito do 17º Correntes d’Escritas: Céu Nublado com Boas Abertas, de Nuno Costa Santos, O Sexo Inútil, de Ana Zanatti, e Outro Ulisses regressa a casa, de Luís Filipe Castro Mendes.
Angola em destaque ontem à noite no Correntes d'Escritas

Angola em destaque ontem à noite no Correntes d'Escritas

Angola foi a grande protagonista da noite de ontem no Hotel Axis Vermar, parceiro do Correntes d’Escritas.
“Escrever é ganhar e perder”

“Escrever é ganhar e perder”

“Escrever é ganhar e perder” quase sempre e, por vezes, ganha-se mais do que se perde, outras, ganha-se menos do que se perde, outras ainda, vive-se a perder para só ganhar depois de morrer. Foram algumas das linhas orientadoras do debate na Mesa 6 do Correntes d’Escritas, esta manhã de sexta-feira, dia 26, no Cine-Teatro Garrett, com Daniel Sánchez Pardos, Fernando Perdigão – em representação de Francisco Conduto de Pina -, Luís Filipe Castro Neves, Miguel Real e Pedro Teixeira Neves, como moderador.
Novos números das revistas Delphica e Flanzine apresentadas no Correntes

Novos números das revistas Delphica e Flanzine apresentadas no Correntes

O número 3 da revista Delphica e o número 11 da revista Flanzine foram apresentados no Hotel Axis Vermar, parceiro do Correntes d’Escritas, na noite de ontem.
Escrevo o que quero escrever, nunca escrevo o que quero

Escrevo o que quero escrever, nunca escrevo o que quero

Inês Pedrosa, Julián Fuks, Luís Carlos Patraquim, Manuel Jorge Marmelo e Nuno Costa Santos, moderados por Pedro Vieira, foram os convidados da Mesa 5: “Escrevo o que quero escrever, nunca escrevo o que quero”.
O livro que é a chave para compreender David Mourão-Ferreira

O livro que é a chave para compreender David Mourão-Ferreira

Mais um livro de peso, ou não tivesse 800 páginas. Mas há também o peso no que concerne à qualidade literária, à qualificada pesquisa aliada à ficção de Teresa Martins Marques na obra Clave de Sol – Chave de sombra – memória e inquietude em David Mourão-Ferreira, apresentada pelo jornalista e escritor José Carlos Vasconcelos, na sessão Correntes à Conversa, em que participou também a autora do livro.
A subjectividade do tempo em que se escreve

A subjectividade do tempo em que se escreve

“Escrevo o futuro ou escrevo para o futuro” foi o tema proposto na Mesa 4 do Correntes d’Escritas esta tarde de quinta-feira, no Cine-Teatro Garrett, colocando ao mesmo nível de reflexão Fernando Perdigão, José Manuel Fajardo, J.A.S. Lopito Feijóo K., Matilde Campilho, Tiago Salazar, com a moderação de Henrique Cayatte.
Apresentados novos livros de Antônio Torres e João Paulo Sousa

Apresentados novos livros de Antônio Torres e João Paulo Sousa

Ao final da manhã de hoje, dia 25, foram apresentados dois novos livros nas Correntes d’Escritas, pela editora Teodolito. O editor Carlos da Veiga Ferreira moderou a sessão, na sala de atos do Cine-teatro Garrett, com a presença dos autores das obras Essa Terra, Antônio Torres, e O Rosto de Eurídice, João Paulo Sousa.