Outrora comum a quase todo o concelho, atualmente confina-se quase unicamente a Rates, freguesia que se situa na zona interior, sendo das que mais influências minhotas recebe. O cultivo da planta, de 2 em 2 anos, fornece a matéria-prima.

Existem ainda em S. Pedro de Rates algumas mulheres que, em momentos especiais, fazem a recriação das técnicas do cultivo, tratamento e tecelagem do linho. Desta forma, os visitantes e as gerações mais jovens tomam conhecimento desta atividade, que no passado foi muito importante para a economia local.

Perde-se no tempo a origem do tear e da tecelagem. No concelho da Póvoa de Varzim sempre se manteve como atividade estreitamente ligada às gentes do campo. O tratamento e tecelagem do linho, matéria nobre por excelência, foi ocupação de muitas gerações de mulheres que com ele prepararam os seus enxovais e contribuíram para o orçamento familiar.