O resultado é surpreendentemente novo, mas ao mesmo tempo soa
familiar, à medida que Hugo Pereira, o performer,
vai debitando versos da autoria da Camões. As armas e os barões assinalados, d’Os Lusíadas, ou Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades
ganham uma nova vida, testemunhada por uma assistência composta,
essencialmente, por alunos, prontos a descobrirem um novo Camões.

A interacção com o público é também uma característica deste
espectáculo, desenvolvido pela Arte Pública –
Artes Performativas de Beja, que se iniciou com um poema de Sophia de Mello
Breyner, Camões e a tença, a que se
seguiram 17 poemas da lírica camoniana. No final do espectáculo, à plateia, é
pedido que se levante e cante, em versão rap, as estrofes I e II d’Os
Lusíadas.  As vozes unem-se, surge a
musicalidade, os versos ganham uma outra força.

Entre a plateia encontravam-se
alunos do 8º ano da Escola Secundária Rocha Peixoto. Ainda não estudaram a obra
camoniana (é de leitura obrigatória no 9º ano), mas para muitos a vontade e a
curiosidade ficou. Para os professores, este espectáculo foi um óptimo
instrumento de sensibilização, já que os alunos ficaram mais motivados, logo
mais abertos ao estudo da obra de Camões.  No fundo, é este o objectivo do espectáculo,
como explicou Hugo Pereira. “Para os alunos, Camões é de estudo obrigatório, é
uma grande seca”, sendo que através do espectáculo se tenta passar “a mensagem,
o entusiasmo de forma a que eles se interessem” e, quem sabe, por iniciativa
própria, procurem mais informação.

“Camões é um poeta Rap” é um projecto que se tem vindo a desenvolver
desde 1992, primeiro pela voz de Gisela Cañamero, agora encenadora,
presentemente pela de Hugo Pereira. A equipa é ainda composta por elementos
responsáveis pela sonoplastia, pelo vídeo, pela iluminação, entre muitos outros
detalhes, criando um espectáculo único, que agrada não por um elemento só, mas
pela conjugação de luz, voz, música, imagem.

O espectáculo está inserido no Programa de Itinerâncias Culturais de Promoção de Leitura
2007, da Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas. Para mais informações sobre
o espectáculo visite www.arte-publica.net.