No seu discurso, o Presidente da Câmara sublinhou que “a Póvoa de Varzim é aquilo que as suas instituições representam”, pelo que é prioritária a recuperação das instalações do clube, que deverá, no futuro, conferir uma nova “dignidade” para todos os cerca de 500 atletas do CDP.

A autarquia conta, para isso, com o “esforço enorme” e o “empenho” da nova direção liderada por Sérgio Duarte que, desde que assumiu funções no final do ano passado, estima “já um milhão de euros para a recuperação de todas as instalações, o pavilhão e as piscinas”.

Para o Presidente da Câmara, “é lamentável” o estado a que chegou esta associação poveira, sendo agora o momento de olhar para o futuro, voltar a colocar o clube no lugar que merece e ajudá-lo a cumprir, nada mais do que, a sua verdadeira missão: “dar formação desportiva aos nossos jovens”.

Entre os associados que assistiam à cerimónia, viveu-se um clima de muita união, tendo sido vários os que abordaram a nova Direção e o Presidente da Câmara para mostrar o seu agrado com o facto de, finalmente, poderem contar com o seu “velhinho clube de volta”.

E como a essência do CDP são as pessoas, o clube – além de distinguir os associados com mais de 25 e 50 anos com emblemas de prata e ouro, respetivamente – atribuiu, pela primeira vez, o emblema de diamante, representativo de 75 anos de vida associativa, dirigido a António Extremina.