Fernando Martins e Joaquim Nunes receberam uma Medalha de Reconhecimento, Grau Prata. A distinção a Fernando Martins “é amplamente justificável pela dedicação, pela entrega e pelo amor à Terra e à sua «gente», pelo exemplo de cidadania. É um homem de coração gigante”. A distinção a Joaquim Nunes, “mais que merecida, é dirigida a um homem discreto, ao formador dos homens de amanhã, a um homem com uma luz muito própria que se escusa de protagonismo. Estes dois homens são, indiscutivelmente, referências”.

O Presidente da Junta de Freguesia de Rates, Paulo João Silva, manifestou que estava “muito feliz por poder atribuir as Medalhas de Reconhecimento a dois jovens que são referências da minha vida, com quem trabalhei e vou continuar a trabalhar”.

O autarca transmitiu que “Rates orgulha-se de ter muita gente que já foi reconhecida, pessoas que, ao longo da sua vida, dedicaram muito tempo de convívio familiar e de lazer à freguesia. Só assim Rates cresce e está como está, uma terra reconhecidamente referência a nível nacional”.

Paulo João aproveitou o momento para agradecer o apoio da Câmara Municipal e referiu-se a alguns dos investimentos já feitos bem como a projetos já existentes e fundamentais para a Vila de Rates.

O Presidente da Câmara Municipal constatou que “Rates tem mais dois cidadãos homenageados com a mais elementar justiça por aquilo que é o vosso contributo e trabalho à comunidade”.

Aires Pereira revelou que, nos últimos quatro anos e até ao final de 2017, o Município investiu, em São Pedro de Rates, 4 milhões de euros e apresentou “aquilo que está na eminência de começar e faz parte do Caderno de Encargos do Município até ao final do ano”. Desde logo, a cobertura total da rede pública de saneamento e águas pluviais (1,4 milhões de euros), um dos maiores investimentos em termos de saneamento nas freguesias; a obra de construção de quatro salas para transferência da Escola da Praça (672 mil euros); a 1ª fase do campo de futebol (400 mil euros); sem esquecer a transferência de 260 mil euros para o património da Junta de Freguesia.

O edil assumiu que “temos a obrigação de ter a «joia da coroa» em perfeitas condições. São milhares de pessoas do mundo inteiro passam pelo centro histórico de Rates e têm que levar uma imagem asseada, de algo que está recuperado e que faz com que voltem cá outra vez”.

Aires Pereira advertiu para a necessidade de “criar um concelho cada vez mais equitativo e uniforme através da construção de equipamentos que pretendem criar valor e interesse à volta da Vila de São Pedro de Rates. Isto é importante também para a criação de emprego e consequente combate à desertificação do interior”.

Neste sentido, reiterou a necessidade de haver investimento e criação de riqueza: “Rates tem que diversificar a sua oferta. É preciso criar produtos alternativos e que se invista para criar outras opções, nomeadamente para os jovens. Temos obrigação de criar uma Vila de São Pedro de Rates com futuro”.