África em destaque em mais uma sessão de lançamento de livros

África em destaque em mais uma sessão de lançamento de livros

Germano Almeida, João Melo e Lopito Feijóo apresentaram, respetivamente, as obras O último mugido, O dia em que Charles Bossangwa chegou à América e Doutrina sem a qual nunca.
Afinal “os fins justificam os livros”

Afinal “os fins justificam os livros”

Coube a Onésimo Teotónio de Almeida ser moderador da mesa 6 do Correntes d’Escritas intitulada “Os fins justificam os livros”, esta sexta-feira, dia 21, a abrir a tarde (15h00), no Teatro Garrett.
“A leitura é inerente ao ser humano”

“A leitura é inerente ao ser humano”

O Correntes d’ Escritas desdobra-se em várias iniciativas, uma delas é o Correntes d’ Aprender, que leva até às Escolas da Póvoa de Varzim alguns escritores.
Dois livros no feminino lançados esta manhã

Dois livros no feminino lançados esta manhã

Asas de Saturno e Rimbaud, o seu viajante e o seu Inferno, ambos editados pela Exclamação, foram lançados ao final da manhã pelas suas autoras, Maria João Cantinho e Ana Cristina Silva, respetivamente.
“Só o que existe pode ser efémero e somos tão breves como a memória e o amor”

“Só o que existe pode ser efémero e somos tão breves como a memória e o amor”

O Cine-Teatro Garrett acolheu, esta manhã, um painel de luxo para a Mesa 5, subordinada ao tema “O efémero é o novo para sempre”. Afonso Cruz, David Capelenguela, David Machado, Fernando Sobral, Gabriela Ruivo Trindade e Melcior Comes, com moderação de Pedro Teixeira Neves, abordaram o tempo como mote para uma conversa que prendeu a atenção da plateia de início ao fim.
“Pecados Correntes” reúne uma multiplicidade de “pecadores”

“Pecados Correntes” reúne uma multiplicidade de “pecadores”

“Pecados Correntes” é o mais recente pecado das Correntes d’Escritas, um audiolivro com 50 pecados, ou melhor, 50 textos sobre os pecados capitais.
“Não é possível construir uma Cidade Literária sem antes sermos capazes de construir uma cidade de leitores"

“Não é possível construir uma Cidade Literária sem antes sermos capazes de construir uma cidade de leitores"

Na Cerimónia de Abertura deste 21º Correntes d’Escritas, o Presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim anunciou que “reafirmamos o propósito de sermos reconhecidos como Cidade Criativa – a partir da Literatura, tanto na vertente da leitura como na da criação literária”.
Todos têm “medo” e há vários medos da poesia

Todos têm “medo” e há vários medos da poesia

Quem tem medo da poesia? Todos têm alguns medos, pelo menos, os elementos da Mesa 4 nas Correntes d’Escritas, que teve lugar esta quinta-feira, às 18h00, no Teatro Garrett, com: Ana Luísa Amaral, Isabel Rio Novo, Ivo Machado, Karyna Gomes, Miguel Araújo e Vasco Gato. A moderação foi de Celso Muianga.
Mais um livro e uma revista lançados no Correntes d' Escritas

Mais um livro e uma revista lançados no Correntes d' Escritas

A Sala Sarilho, nas Galerias Euracini2, tem sido a “casa” de muitos lançamentos de livros. Esta tarde recebeu mais duas apresentações, uma do livro A melhor Máquina Viva, de José Gardeazabal e outra da Revista de Literaturas Ibéricas Suroeste.
À conversa sobre literatura catalã

À conversa sobre literatura catalã

A literatura catalã foi a protagonista do Correntes à Conversa desta tarde.
Correntes d'Escritas celebra liberdade contra muros e fronteiras

Correntes d'Escritas celebra liberdade contra muros e fronteiras

Sob o tema “Era uma vez a liberdade”, José Gardeazabal, José Luís Peixoto, Luís Sepúlveda, Marta Orriols e Paula Lobato de Faria foram os convidados da Mesa 3 do Encontro de Escritores de Expressão Ibérica, moderada por Michael Kegler.
Dois novos livros apresentados, esta tarde, no Correntes

Dois novos livros apresentados, esta tarde, no Correntes

Esta tarde, foram apresentadas mais duas obras no âmbito do Correntes d’Escritas: A Cidade das Livrarias Mortas, de Francisco Duarte Mangas, e O Assassino Tímido, de Clara Usón, publicadas pela Teodolito, representada pelo seu editor, Carlos da Veiga Ferreira.
Ver mais