O Núcleo Interpretativo da Cividade de Terroso foi inaugurado no dia 28 de junho de 2004 com o objetivo de funcionar como apoio aos visitantes da estação arqueológica.

O edifício mantém em exposição peças encontradas em trabalhos arqueológicos, mas é no Museu Municipal que as mais relevantes descobertas da cultura castreja do Noroeste Peninsular se encontram disponíveis para que os visitantes conheçam a história deste povoado.

Se visitar o Núcleo Interpretativo da Cividade de Terroso não deixe de subir (a pé) mais alguns metros e conhecer uma das mais importantes estações arqueológicas do nosso país.

A Cividade de Terroso encimava uma elevação com 153 metros de altitude e teve ocupação humana desde finais da Idade do Bronze (século VIII a.C.) até à Romanização (séculos III d.C.). Todas as fases desta longa presença estão patentes no espólio recolhido e nas estruturas postas a descoberto.

Os primeiros trabalhos arqueológicos aconteceram no início do século XX pela mão de Rocha Peixoto. Mas, foi a partir de 1980 que as escavações beneficiaram de um novo impulso que permitiu definir o horizonte da ocupação e o povoamento da Cividade.