(Imóvel de interesse público)

 

Esta elevação de 153 m de altitude regista um longo período de ocupação (séc. VIII a.C. – séc. III d.C.) e forneceu já importantes elementos de estudo para a história dos povos castrejos e da implantação romana. A primeira intervenção deu-se nos inícios do século XX pela mão de Rocha Peixoto e, desde 1980, vêm-se realizando trabalhos arqueológicos tendentes à sua escavação, estudo e valorização. No Museu Municipal está em exposição o espólio mais significativo.