Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Inovar no Presente,
Garantir o Futuro!

Sections
Destaque

"As Leis da Fronteira" de Javier Cercas vence Prémio Casino da Póvoa

O júri, constituído por Carlos Vaz Marques, Helena Vasconcelos, Isabel Pires de Lima, João Rios e José Manuel Fajardo, elegeu a obra de Javier Cercas como vencedora do Prémio Literário no valor de 20 mil euros, atribuído no 17º Correntes d'Escritas.

Notícias

"As Leis da Fronteira" de Javier Cercas vence Prémio Casino da Póvoa

Póvoa de Varzim, 24.02.2016

O júri, constituído por Carlos Vaz Marques, Helena Vasconcelos, Isabel Pires de Lima, João Rios e José Manuel Fajardo, elegeu a obra de Javier Cercas como vencedora do Prémio Literário no valor de 20 mil euros, atribuído no 17º Correntes d'Escritas.

Na declaração de voto pode ler-se que o júri valorizou os seguintes aspetos: "a atenção às grandes questões da sociedade contemporânea"; "a opção por uma construção narrativa atenta à polifonia de vozes e aos seus modos distintos de convocação de memória"; "a componente de romance de iniciação, quer individual quer coletivamente considerado na Espanha dos primeiros anos de Democracia".

Sobre o livro: uma impetuosa história de amor e desamor, de enganos e violência, de lealdades e traições, de enigmas por resolver e de vinganças inesperadas.
No verão de 1978, com Espanha a sair ainda do franquismo e sem ter entrado definitivamente na democracia, quando as fronteiras sociais e morais parecem mais porosas do que nunca, um adolescente chamado Ignacio Cañas conhece por acaso Zarco e Tere, dois delinquentes da sua idade, e esse encontro mudará para sempre a sua vida. Trinta anos mais tarde, um escritor recebe o encargo de escrever um livro sobre Zarco, transformado nessa altura num mito da delinquência juvenil da Transição. O que acaba por encontrar não é a verdade concreta de Zarco, mas uma verdade imprevista e universal, que nos diz respeito a todos. Assim, através de um relato que não dá um instante de trégua, escondendo a sua extraordinária complexidade sob uma superfície transparente, o romance transforma-se numa pesquisa apaixonada sobre os limites da nossa liberdade, sobre as motivações impenetráveis dos nossos actos e sobre a natureza inapreensível da verdade. Confirma também Javier Cercas como uma das figuras indispensáveis da narrativa europeia contemporânea.

Sobre o autor: 

Javier Cercas nasceu em 1962, em Ibahernando, Cáceres, e publicara já vários livros (entre eles, O Inquilino) quando Soldados de Salamina  (também publicado pela ASA) obteve um sucesso sem precedentes, não só em Espanha como nos muitos países onde foi traduzido e publicado.

Javier Cercas foi distinguido com vários prémios, nomeadamente o Prémio Llibreter 2001, o Prémio Cidade de Barcelona, o Prémio da Crítica do Chile, o Prémio Salambó, o Prémio Qué Leer, o Prémio Extremadura e o Prémio para a melhor obra de ficção estrangeira, em Inglaterra.

A Assírio & Alvim publicou já As Leis da Fronteira e, em 2015, O Impostor.

Acompanhe o 17º Correntes d’Escritas no portal municipal e no facebook Correntes, onde pode consultar o programa completo do evento.