Aires Pereira manifestou a enorme satisfação pela presença do Ministro no evento, promovido pela AgriNavais com o apoio do Município da Póvoa de Varzim, recordando que “a agricultura, mais concretamente a área hortícola, representa mais de 10 mil empregos diretos e indiretos no nosso concelho, com um volume de negócios superior a 100 milhões de euros”.

A este respeito, acrescentou que os números refletem o esforço da população poveira, que se dedica a esta atividade de forma muito intensiva e que tem elevado o nome e a qualidade dos produtos locais. Tal deve-se ao “sentido de responsabilidade dos nossos horticultores, dos quais muito me orgulho de falar”, declarou Aires Pereira.

No seu discurso, o Presidente da Câmara pediu a ajuda do Ministro para a certificação da “Cebola da Póvoa”, da “Couve Penca da Póvoa” e do “Tomate Coração de Boi da Póvoa” como Indicações Geográficas Protegidas, processo que, quando concluído, poderia abrir caminho para a inclusão destes produtos locais no abastecimento de refeições escolares no concelho. 

O Ministro da Agricultura e Pescas reconheceu o trabalho de proximidade do Presidente da Câmara e a importância de assinalar eventos como este, pois “para decidir, temos de sentir, ouvir, conhecer e estar presentes”. José Manuel Fernandes alertou que “temos que valorizar o trabalho dos nossos produtores, porque é inaceitável que um agricultor ganhe cerca de 40% das outras profissões”, acrescentando que é necessário melhorar o rendimento dos produtores para podermos atrair mais jovens para esta profissão.

Sobre a certificação dos três produtos locais, pendente devido ao desmantelamento de Direções Regionais da Agricultura na passagem de competências para as Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), o Ministro comprometeu-se a encetar esforços no sentido de agilizar o processo, por considerar que é uma forma de acrescentar valor ao que de melhor se produz a nível nacional.