Esta tarde, nas Euracini2, na Sala Sarilho, foram lançados os seguintes livros: Hay gente que no sabe lo que hace, de Alejandra Zina, Resulta facil hablar del dia que vas a morir, de Miguel Rojo e Sin regresso, de Carmen Yañez.

Alejandra Zina nasceu em Buenos Aires e, antes de começar a escrever foi uma leitora assídua, porque foi criada numa casa repleta de livros. Há uns anos, a vontade de escrever textos autobiográficos surgiu e, este livro nasceu dessa vontade. Hay gente que no sabe lo que hace está dividido em sete histórias e todas as protagonistas são mulheres. Irmãs, amigas, mães e filhas, que aparecem em situações quotidianas, aparentemente inofensivas.

Alejandra Zina revelou que escreve quase sempre sobre ambientes urbanos e, que gosta de livros que não são perfeitos e que não pretendem ser perfeito.

Terminou, mostrando a honra que era estar no Correntes d’ Escritas, especialmente, naquele painel com dois grandes escritores. Lembrou ainda, que este Festival Literário reúne pessoas de distintas partes, que falam várias línguas, mas que, no final, não são assim tão diferentes.

Chegada a vez de Miguel Rojo apresentar o seu livro, começou por confessar que escreve, muitas vezes, sobre assuntos, ou situações para as quais não consegue arranjar uma resposta prévia. Uma das histórias deste livro é a prova disso.

Ao regressar de uma viagem a Bordeaux decidiu escrever este livro, cujo título é  Resulta facil Hablar del dia que vas a morir. Aqui é partilhada a história de um professor de História da Universidade de Madrid, que se apaixona por uma das suas alunas. A diferença de idade entre os dois, o escândalo no ambiente universitário e a rejeição social são razões mais do que suficientes para tentar resistir. Ao mesmo tempo, e a centenas de quilómetros de distância, um jovem de origem marroquina, que se sente pouco compreendido pela sociedade francesa começa a frequentar os ambientes islâmicos da sua cidade, até se tornar um fanático jihadista.

As duas histórias, que vivem paralelamente ao longo do livro, cruzam-se na cidade de Bordeaux. Duas forças, a do amor e a do fanatismo religioso confrontam-se por uns momentos.

Resulta facil hablar del dia que vas a morir é um romance empolgante e emocionante, que hipnotiza da primeira à última linha.

O último livro a ser lançado, nesta sessão, foi Sin Regreso, de Carmen Yañez.

Carmen Yañez nasceu em Santiago do Chile, de onde teve de sair há muitos anos. Atualmente, a viver em Espanha, a escritora acredita que todas as pessoas que deixam o seu país têm uma mala que as acompanha para toda a vida. Nesta mala, não carregam só objetos, carregam também memórias e é sobre memórias que este livro fala.

Longos anos mais tarde, Carmen Yañez abriu a sua a mala, que transbordava de memórias, que resultaram neste  obra. Mas ao recordar aquelas memórias, a escritora sentiu que não era a mesma pessoa que aquelas recordações teimavam em apresentar e, os objetos que estavam na mala já não pertenciam a ninguém.

A escritora acabou a apresentação do seu livro, lendo alguns poemas e sublinhou que, em todas as viagens a palavra foi sua companheira.

  Não perca os próximos lançamentos de livros e acompanhe o Correntes d’Escritas. Consulte o programa completo.